Minha casa é seu coração

Jesus queria que os seus discípulos soubessem que eram amados por Ele, queria também que a Igreja nascente também se desdobrasse em cuidados pelos sofredores e pequeninos, e que esta fosse a missão dos seus discípulos, para tanto, não queria que as pessoas fossem movidas por invejas, comparações e mediocridades, mas queria que as pessoas fossem generosas e amistosas, sempre pensando no bem estar das pessoas e do mundo, não queria que o mundo se tornasse lugar de rivalidades e desamor, para isto pediu a todos que, com humildade, servissem uns aos outros – “se eu, Vosso Mestre e Senhor, vos lavei os pés, assim, também devereis servir uns aos outros” – Ele nos deixou este grande legado de humildade e amor, de serviço aos pequenos e excluídos, e de compaixão para com aqueles que sofrem.

Amar a Deus, é amar ao próximo, não se pode amar a Deus sem amar o próximo.

Porém esta dicotomia é observada na maioria das religiões de nossa época, esta discrepância, muitos há que procuram agradar a Deus e louvá-Lo, mas não se preocupam com os outros, vivendo de forma egoísta como os pagãos viviam antes de Cristo.

São muitos os que professam a fé e trabalham pelos poderosos, e não se importam com os pequenos, os humilhados, aqueles que são os principais dignatários da mensagem do evangelho.

Amar é um desafio diário, hoje, neste momento em que vivemos, de pandemia, a nossa fé é profundamente testada: – por que as pessoas estão fragilizadas, e estão amarguradas, e não se vê muito de nossa caridade; nosso gesto concreto está faltando na mesa de nossos irmãos e nos seus corações.

É muito triste o que nós vemos, hoje, no Brasil e no mundo, cumpre lembrar, que as maiores tentações de Jesus se deram no deserto, na solidão, nos lugares ermos, onde faltava de tudo, é ali, que a nossa caridade é testada, que a nossa fé e o nosso amor são colocados em check.

Não estou preocupado com a pandemia, alguém vai fazer a vacina, um dia ou outro, estou preocupado, se depois da pandemia, teremos perdido ou salvo nossas almas, por termos demonstrado ou não solidariedade para com o próximo e para com os sofredores, e conservado a nossa fé em Deus, acima de tudo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *